Eventos. SEMAD-MT - Secretaria Estadual de Missões das Assembleias de Deus do Estado de Mato Grosso.

EVENTOS

4º MODULO DO CURSO DE PREPARAÇÃO MISSIONÁRIA 2015

24/08/2015

Projeto Missionário 2015

CURSO DE PREPARAÇÃO MISSIONÁRIA

4º MÓDULO

  • LIDERANÇA
  • ADMINISTRAÇÃO ECLESIÁSTICA

Pr. Juvanir de Oliveira[1]

 

Ev. Nelson Barbosa Alves

Secretário Estadual de Missões / Semad-MT

Ev. Wesley Marcelino de Oliveira

Secretário Executivo de Missões / Semad-MT

Ev. Claudenir Pereira Dias

Coordenador de Cursos Semad-MT

 

 

Cuiabá - MT 22 de Agosto de 2015.

 

  • LIDERANÇA

Liderança não é Gerência

Planejamento, orçamento, organização, solução de problemas, controle, manutenção da ordem, desenvolvimento de estratégias e várias outras coisas, são características de líder.

O que fazemos       –        o que somos

               Gerencia                          Liderança

Liderança não é ser chefe

Eu sou o seu chefe....

 

Liderança é uma grande responsabilidade

Imagine os diferentes papéis de liderança Pai, mãe, treinador, professor, pastor e outros.

Poder de influenciar.

Liderança é uma habilidade.

 

As pessoas nascem lideres ou se tornam lideres?

A liderança é genética?

Todo líder já foi liderado.

Maestro Coral                                                           Executivo(a)

                                                Liderança é influencia

Liderar é fazer com que as pessoas contribuam com entusiasmo, de preferência com o coração, a mente, a criatividade, a excelência e outros recursos. E se tornem melhores do que são capazes de ser. 

Ex. Presidente da Northwest Airlines. (Prejuízos e lucros).

Liderança questão de caráter

O líder é definido nos seu projetos.            

  Quais são as qualidades essenciais de um líder?

A disciplina é a primeira qualidade para torná-lo líder

1) Disciplina devocional.

a.Faz seu tempo de oração.

b.Leitura Bíblica.

c.Estudo sistemático.

 

2) O líder não pode levar a mesma vida que levam seus liderados.

a. Ele trabalha enquanto os outros perdem tempo.

b. Enquanto os outros dormem, ele estuda.

c. Enquanto os outros brincam, ele ora.

 

3) Somente através da disciplina é que conseguirá atingir o potencial máximo.

4) Uma pessoa só irá liderar com eficiência após haver conquistado a si mesmo.

5) O líder é alguém que primeiramente submeteu-se de boa vontade, aprendeu a obedecer e possui disciplina.

“Para exigir o mínimo do mundo você precisa dar o máximo"

 

Liderar com amor tem que ter:

1 – VISÃO

2 – OTIMISMO

3 – PACIENCIA

4 – DECISÃO

5 – SABEDORIA

6 – CORAGEM

7 – HUMILDADE

 

VISÃO

1)Ter visão abrange três áreas ou aspectos:

a) Enxerga a si mesmo.

b) Conhece suas qualidades e habilidades;

c) Reconhece seus defeitos e fraquezas. 

 

2.Enxerga os outros.

a) Suas capacidades;

b) Seu valor;

c) Suas necessidades.

 

3)Possui metas definidas.

a) Sabe o que deseja;

b) Sabe como chegar lá.

 

OTIMISMO

1)Um pessimista jamais se tornará líder (Números 13.25-33) ler na Bíblia.

2)Um bom líder sempre será otimista.

a)Confia na ajuda de Deus. “Elevando o olhar, desaparecem os limites."

b)O otimista vê em cada dificuldade uma oportunidade.

 

3)O primeiro passo para chegar-se ao fim de alguma coisa é julgá-la possível.

PACIÊNCIA

1) A paciência não pode ser dispensada pelo líder.

a) Não correr demais na frente dos liderados, desestimulando-os.

b) Ser paciente diante das fraquezas e erros dos liderados, e não se mostrar áspero, e dar novas oportunidades;

c) Ser paciente não é ser injusto ou aceitar injustiças.

 

2)Saber esperar à hora certa sem precipitar resultados.

DECISÃO

1) Uma decisão firme e rápida são características de um bom líder.

a) A indecisão desestabiliza qualquer liderança.

b) A falta de decisão é quase sempre uma decisão errada.

 

2) O líder tem que ser decidido.

 

3) Não adianta ficar adiando uma decisão que temos que tomar.

 

SABEDORIA

1) É mais que conhecimento, Inclui sagacidade (Mt 10.16) Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e simples como as pombas.

a) Prudência.

b) Inteligência.

2) É mais que percepção humana.

a) É conhecimento celestial.

b) É aplicação correta do conhecimento de Deus em sua vida.

 

CORAGEM

1) É aquela capacidade de espírito que capacita o homem a enfrentar o perigo.

a) Com firmeza

b) Sem medo

c) Sem depressão

 

2) A coragem é indispensável para que o líder obtenha sucesso.

3) As grandes realizações foram feitas por homens de coragem.

"Quem não se arrisca  nunca chega a uma vitória."“Prefiro tentar algo grande e falhar, a ter êxito em nada".

 

HUMILDADE

1) A liderança secular não destaca a humildade como parte do líder.

a) Se subiu é porque tinha "padrinho" ou era o melhor.

b) Se é o melhor não precisa dos outros.

c) Existe arrogância e orgulho.

 

2) Cristo exige humildade do líder espiritual (Mc 10.44). E qualquer que dentre vós quiser ser o primeiro, será servo de todos.

3) Um bom líder sempre foi antes um bom liderado. Para ser um bom liderado é necessário  ser humilde.

4) Admitir:

a) Suas deficiências.

b) Seus erros.

c) Quando não sabe algo.

LIDERAR COM AMOR

Há líder que sabe falar muito, porém, falar muito, pedir muito, mandar muito, é sinal de fraqueza, ou muitas vezes de incompetência. Se a essência da liderança é doar-se por amor aos seus liderados, ouvir é a primeira grande habilidade que um líder deve desenvolver. Liderar pessoas é uma tarefa pessoal, exigente, porém que não se faz por obrigação, mas por doação, por opção.

Pessoas escolhem ser líderes, ocupar funções, cargos ou atividades de liderança: se escolheu liderar, deve escolher também respeitar e amar, pois a essência da liderança é o amor. "Quando escolhemos ser líderes optamos por amar e doar-nos aos outros, livremente".

Dessa forma, liderar é conseguir que as coisas que precisam ser feitas sejam feitas por pessoas alegres, motivadas, entusiasmadas, respeitadas e amadas. Quando os colaboradores de uma empresa sentem-se que no seu relacionamento profissional estão presentes fatores motivacionais que valorizam o seu fazer e, principalmente, o seu ser, ele passa a desenvolver o "sentimento de pertencimento", ou seja, ele sente que faz parte da empresa e passa a ser responsável por ela, "veste a camisa", anuncia a marca, orgulha-se em andar com o crachá no peito. O contrário de tudo isso também é verdadeiro.

Se o colaborador não se sente amado, não amará o seu trabalho e nem desenvolverá o "sentimento de pertencimento". Fará somente o necessário e porque é mandado. Ele não sentirá amor pelo que faz e se não sente o amor, não fará bem feito. Mas este amor é o líder quem deve plantar nos corações de seus liderados: "O bom líder sabe valorizar seus liderados, não somente com palavras, mas principalmente com ações de amor" . E quais são essas ações de amor? Saber ouvir, ser gentil, afetuoso, preocupar-se com o outro. O amor faz toda diferença, pois ele "impõe-se ao ser humano".

Concluímos que o líder amoroso não "manda" fazer simplesmente pelo ato de fazer, mas está contida em sua atitude uma ação efetiva de amor, que não descarta o comando, contudo não se envergonha de se mostrar demasiadamente humano. Esse líder oferece condições para que seus liderados executem suas tarefas num ambiente gerador de relacionamentos saudáveis e amorosos, sem rigidez ou autoritarismo, pois "precisamos ser flexíveis porque a rigidez das pessoas sempre causa vítimas".

Portanto, destacamos que "no trabalho precisamos realizar tarefas, atingir resultados, mas também devemos amar aos outros, prestar atenção nos sentimentos do outro" , afinal, o ser humano está em constante construção e construir-se significa "avançar em direção aos bons sentimentos: 'amai-vos uns aos outros”.

O LÍDER SERVO E O PERIGO DO STATUS

 Descrição: https://encrypted-tbn3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTr2v6trpIbRT7Cnzcw-xISCcAHcZPMYLrx3zt2TEHxvsg8xgZSnA

1) A principal meta do líder servo é sempre trabalhar pelos melhores interesses daqueles a quem ele lidera.

2) A principal satisfação do líder servo é ver o crescimento e desenvolvimento de quem ele lidera.

3) O líder servo é atraído pela prestação de contas.

4) O líder servo tem um amor cuidadoso por quem ele lidera

5) O líder servo esta pronto para ouvir

6) O LÍDER SERVO TEM UMA VERDADEIRA HUMILDADE DE CORAÇÃO E, COMO CONSEQUÊNCIA UM JULGAMENTO REALISTA E CONFIAVEL EM RELAÇÃO ÀS SUAS CAPACITAÇÕES E DEFICIÊNCIAS, O QUE ELES PODEM FAZER BEM E O QUE NÃO PODEM.

7)O LIDER SERVO ESTA DISPOSTO A COMPARTILHAR RESPONSABILIDADES COM OS OUTROS PARA QUE SEJAM CAPACITADOS.

 

A SÍNDROME  DO STATUS

NO MUNDO, A LIDERANÇA E O STATUS ANDAM JUNTOS. EM UMA CORPORAÇÃO DE NEGÓCIOS, VOCÊ QUASE SEMPRE PODE NOTAR QUEM É O PRESIDENTE OU CHEFE EXECUTIVO. POR QUE?

 

 

  • O STATUS NÃO AFETA SOMENTE O LÍDER, MAS A MULHER DO LÍDER O FILHO DO LÍDER A SOGRA DO LÍDER OS SEUS LIDERADOS.
  • O EFEITO DO STATUS.
  • O STATUS ALIMENTA O ORGULHO E ESTIMULA A VAIDADE.
  • O LIDER CORRE GRANDE PERIGO DE ACREDITAR NAS COISAS AGRADÁVEIS QUE LHE SÃO DITAS.
  • O LIDER TEM SEMPRE PRIVILÉGIOS ESPECIAS O ACESSO AO LÍDER É ESTRITAMENTE LIMITADO

LIDERANÇA: PODER E AUTORIDADE

AUTORIDADE                                                        PODER  

Poder: é a capacidade de obrigar, por causa de sua posição ou força, os outros a obedecerem à sua vontade, mesmo que eles preferissem não fazer.  Faça isso, senão vai ver.

O líder poderoso pensa assim: Se eu tenho habilidade de derrotá-lo Bombardeá-lo, espancá-lo ou despedi-lo, Posso forçá-lo a obedecer à minha vontade.

Autoridade: É a habilidade de levar as pessoas a fazerem de boa vontade o que você quer por causa de sua influência pessoal. (presente ou ausente)

O poder pode ser:

Comprado ( Título – Diploma)

Dado         ( família nopotismo) rei

Tirado        (Cargo-sadan).

 

Corruptíveis do poder

1 – Orgulho

2 – Arrogância

3 – Vanglória

4 – Insensibilidade

5 – Domínio

6 - Tirania

 

Orgulho

O mal do orgulho é causado por ele dar uma sensação exagerada de nossa própria importância ou relevância a outras pessoas.

Arrogância. O pior perigo da arrogância, no entanto, não é somente o prejuízo que ela pode causar aos nossos relacionamentos, mas à decepção a qual ela pode facilmente conduzir.

 

A vanglória

A vanglória é especialmente culpável nos líderes, porque eles estão explorando vantagens particulares que sua posição oferece para propósitos egoístas e, desta forma, traindo a confiança que as pessoas colocaram nele.

 

Insensibilidade.

Condição daquele que não consegue perceber o que as circunstâncias estão demonstrando e o que lhe pode ocasionar.  

 

Domínio

QUANDO OS LÍDERES SE ENCONTRAM SOB AMEAÇA, PODEM CEDER MUITO FACILMENTE À TENTAÇÃO DE MANTER SUA POSIÇÃO A QUALQUER CUSTO E DE QUALQUER MANEIRA.

 

Tirania

Este é o estágio final do mau uso do poder.  Ordem dada é para obedecer.

 

 

 

 

 

 

COMO LIDAR COM AS CRITICAS

1 – NÃO A REJEITE POR COMPLETO

2 – NÃO SE SINTA DESANIMADO POR ELA

3 – NÃO SE DESMORALIZE POR ELA

4 – NÃO SEJA COMANDADO POR ELA

5 – NÃO A TORNE PESSOAL

6- PROCURE MOSTRAR O MOTIVO POR TRÁZ DA CRITICA

7 – NÃO RESPONDA NA MESMA MOEDA

8 – NÃO PERMITA QUE SUAS EMOÇÕES COMANDEM SUAS RESPOSTAS, DE FORMA QUE VOCÊ MANIFESTE MÁGOA OU RAIVA

9 – NÃO SE TORNE O ALVO PESSOAL DE UMA DIVISÃO.

10 – NÃO PERMITA QUE  OS OUTROS SEJAM ATACADOS ATRAVÉS DE VOCÊ E, NÃO SE DISTANCIE DAQUELES A QUEM VOCÊ DEVE LEALDADE QUANDO ESTÃO SOB ATAQUE

 

Descrição: http://www.forte.jor.br/wp-content/uploads/2011/12/MD_CAvEx-164-580x435.jpg

LIDERAR COM INCENTIVO (Gentileza)

  • Sorria para as pessoas que você encontrar. Isso vai motivar a outra pessoa a sorrir de volta para você. Sorrir com mais frequência  para as outras pessoas é um passo em direção à gentileza. Mesmo que você não goste da outra pessoa, seja civilizada e cumprimente-a. Tente sorrir, mas não force a barra puxando conversa ou sorrindo em demasia pois vai parecer falso.
  • Não seja tímido e introduza-se para novas pessoas. Cumprimente as pessoas que passam e quando elas perceberem o seu gesto com certeza vão responder de volta. Quem sabe você pode fazer um grande novo amigo que você nunca teria conhecido se você não tivesse dado o primeiro passo e dito olá.
  • Puxe conversa. Fale sobre pequenas coisas que você sabe a outra pessoa vai se interessar. Se você não conhece a outra pessoa bem o suficiente para saber das suas preferências, tente conversar sobre o que está acontecendo à sua volta . Adicionar humor sempre ajuda pois pessoas adoram alguém que faz ela sorrir ou que tenha um senso de humor e que possa entendê-la. Conversas secas não deixam uma boa impressão.
  • Todos gostam de elogios, então não tenha medo de dizer algo positivo sobre a outra pessoa. Mas tenha cuidado para não exagerar.
  • Dê para a pessoa algo amável de vez em quando. E nas datas comemorativas e aniversários compre algo realmente especial que ele/ela vai apreciar. Não precisa ser nada caro. Um caixa de chocolates, um perfume e se realmente for de coração, seu amigo(a) vai entender a mensagem e ser mais gentil com você também!
  • Seja gentil com os outros. Ajude quando precisar, mesmo que seja alguém que você não conheça. Aquela pessoa pode estar se sentindo só e, talvez, você seja a única pessoa que falou com ela naquele dia. Imagine o quão feliz ela vai ficar, e você vai se sentir feliz por ter sido gentil com alguém.
  • Não use palavrões. Isso causa uma péssima impressão.
  • Lembre-se de tratar as pessoas do mesmo jeito que você gostaria de ser tratado. Se você for gentil com as pessoas, elas vão te tratar bem e se você for rude, elas vão te achar mal-educado(a) e vão te ignorar.

Se você tem dificuldade para enxergar o lado bom de alguém, pense no talento dela. Ele/ela é realmente inteligente? Tem um bom senso de estilo? Todo mundo tem qualidades.

Descrição: http://t0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcTjYxVTlGHsarvlGjS2WHkRUBhK409Y-D1oPfcDj22AC2p4bYwoag     Descrição: https://encrypted-tbn3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQeriwD4_m9EGYZeZkXtDfGzaODqo8_Lamw9H6oE-ni3aQz7K-s      Descrição: https://encrypted-tbn1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQ6QZGPQoLYjQpkSmTiX0aZxPmngJwd2vDcnDDKdsGv-xI4w5erXA

 

Respeito é um valor que dá sustentação a todos os demais. Respeito é o mais básico de todos os valores. Se não existir em um projeto, não há nada que possa salvá-lo. Sentimento de consideração àquelas pessoas ou coisas dignas de nossa gratidão.

 

 

O QUE SIGNIFICA “ADMINISTRAÇÃO ECLESIÁSTICA”?

 Administração Eclesiástica é o estudo dos diversos assuntos ligados ao trabalho do pastor no que tange à sua função de líder ou administrador principal da igreja a que serve.

 

O administrador desprovido da moral, da ética e da verdade.

1) Nunca será nobre em seus intentos e meios de trabalho.

 

2)Tornar-se-a  tão inglório e desprezível quanto um tirano e um mentiroso.

3)Nunca será tolerável em seus meios torpes, ainda que os objetivos sejam louváveis.

4)Nunca será interessante para a entidade onde atua quanto o gestor ético.

 

O bom administrador

Além de dominar as competências de gestão, é comprometido com a verdade.

Os atos da administração eclesiásticas

1)Visa a expansão do reino de Deus na terra, a evangelização, e o preparo dos santos para o arrebatamento.

2)Não contemplam a organização e o controle dos membros.

3)Não tem como meta o crescimento virtiginoso do número de  igrejas.

4)Não procuram tornar popular a igreja.

A teoria geral da administração eclesiástica

Não esta fundamentada em conceitos  seculares.

Não prega o controle do dinheiro proveniente dos dízimos e ofertas.

Não prima pelo controle detalhado da membresia.

Está fundamentada na Bíblia.

 

A divisão do trabalho

Funciona bem desde o inicio da era industrial. (Henry Ford)

Descrição: C:\Users\PC\images1.jpg

Sempre foi viável para trabalhos em equipe.

Viabiliza a especialização.

É indicada para instituições eclesiásticas.

 

Dentro da estrutura eclesiástica, a divisão de trabalho:

Evita a sobrecarga dos obreiros.

 

Possibilita o envolvimento de mais obreiros nas atividades.

Garante qualidade e especialização na execução dos trabalhos. (Paul  young Chu )

 

 

Quanto a responsabilidade do administrador eclesiástico

 Não pode exercer seu oficio  sem considerá-la uma premissa.

Não deve tomá-la  apenas como parte do seu oficio.

Que a não pratica, pode vir a corromper-se.

COMO FAZER REUNIÕES CRIATIVAS

Vamos a algumas dicas que tomarão suas reuniões mais criativas e geradora de resultados:

1. Só convoque uma reunião quando totalmente indispensável;

2. Estabeleça os objetivos;

3. Elabore uma pauta, fixando tempo para cada assunto;

 4. Coloque só as pessoas às quais o assunto interessa;

5. Mantenha o rumo da discussão;

6. Sintetize as conclusões;

7. Faça o acompanhamento de todas as decisões tomadas.

Autoridade e responsabilidade

Não podem ser consideradas separadamente pelo administrador.

São premissas básicas da administração.

São práticas indissociáveis da boa gestão.

 

Disciplina

É  a responsável pelo que temos e somos.

Disciplina: É um hábito interno que facilita a cada pessoa o cumprimento de suas obrigações, é um autodomínio, é a capacidade de utilizar a liberdade pessoal.

 

É a ferramenta necessária á consolidação de sonhos planos e metas.

 

 

 

 

 

Conquista demandam:

Esforço físico, sempre e somente? Não, mas disciplina, interesse, ânimo, persistência...

O MINISTÉRIO DE ADMINISTRACÃO

O ministério de administração ou liderança envolve levar outros a alcançar grandes coisas para Deus. A direção inclui as seguintes áreas que você estudará neste curso:

 RECONHECER A IMPORTÂNCIA DA UNCÃO PARA LIDERAR:Unção de Deus para administrar é mais importante que educação, talentos e experiência.

CUMPRIR AS QUALIFICACÕES BÍBLICAS PARA A LIDERANCA:A administração do ministério começa com a administração de si mesmo.

APRENDER A LIDERAR COMO UM SERVO:A administração bíblica não é relações públicas vistosas ou uma personalidade carismática no púlpito. É serviço humilde àqueles a quem você lidera. Servir é que separa a direção cristã da direção mundana.

APRENDER A LIDERAR COMO UM PASTOR:As qualidades de um pastor no mundo natural eram o que Jesus usava para descrever a direção espiritual.

ENTENDER AS TAREFAS BÁSICAS DOS LÍDERES:Estas incluem as áreas difíceis de tomar decisões e resolver conflitos e problemas de disciplina.

 TREINAR LÍDERES E DISCÍPULOS:Todos nós lideramos em certas situações, porém todos somos seguidores em outras situações. Os líderes devem ter seguidores ou discípulos. Tanto os líderes quanto os seguidores (ou discípulos) devem ser treinados.

APLICAR OS PRINCÍPIOS DO ÊXITO ENSINADOS NA PALAVRA DE DEUS:Estes princípios asseguram u ma direção vitoriosa dos recursos espirituais.

EVITAR AS VIOLACÕES QUE CAUSAM O FRACASSO NA ADMINISTRACÃO: Fracassar em liderar e seguir resulta das violações aos princípios bíblicos.

COMPREENDER OS PRINCIPIOS BÍBLICOS DE ADMINISTRACÃO OU ORGANIZACÃO: Estes incluem as posições de liderança estabelecidas por Deus e aquelas desenvolvidas devido às necessidades práticas da igreja.

Quanto ao trato de remuneração dentro da dinâmica da administração eclesiástica,.

A) A igreja perde a isenção de impostos caso venha a contratar seus pastores pelo regime da CLT.

B)Uma vez que é desaconselhada a manter vínculos empregatícios com seus pastores-diretores, a congregação não esta desobrigada a quaisquer compromissos com o sustento deles.

C)Aos pastores em tempo integral, a igreja deve dispensar cuidados e auxílios eclesiásticos suficientes a provisão das necessidades elementares do obreiro e sua família.

D)Uma vez que a Bíblia assegura ao obreiro o direito ao salário, ele não pode, ao seu bel prazer, tomar da casa do senhor a quantidade que bem parecer.

 

Quanto a hierarquia dentro da dinâmica da administração eclesiásticas,

A) Ao contrario do que possa parecer ou ser erroneamente praticado, a hierarquia dentro da igreja nada tem a ver com graus de importância, mais sim com as finalidades e vocações.

B) Todas as vezes que a hierarquia é quebrada, há uma violação das intenções e planos de Deus para a igreja, e isto se da através da manipulações e estrelismos.

C) As ingerências praticadas por quem quer que interfira na direção da igreja através de ações de rebeldias, vaidade, sedução, prevaricação e coisas semelhantes a estas, podem ser biblicamente classificadas como síndrome de Jezabel.

 

ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DA IGREJA

Quanto ao desenvolvimento histórico da departamentalização nas igrejas podemos afirmar que:

1)Este principio garantiu a concentração de esforços combinados que impulsionaram as ações missionárias evangélicas.

2)Uma das consequências tão benéficas da departamentalização é a rápida ambientação dos novos crente, cada qual em grupos identificados com suas necessidades especificas.

3)Apesar da evidente falta de recurso em congregações e igrejas de menor porte, a departamentalização ainda é uma premissa na organização dos trabalhos.

4)Apenas as igrejas com instalações físicas razoáveis é que podem implantar a departamentalização em suas atividades,  e  as demais prejudicadas pela ausência de salas e outras dependência, resta conformar-se com o fato de que não poderão desenvolver qualquer tipo de trabalho especifico, segundo os princípios da departamentalização? Não.

 

Em relação ao trabalho de assistência social desempenhado, é correto afirmar que

1)A preocupação com o atendimento aos necessitados é uma preocupação históricas das Assembléias de DEUS?SIM

2)É um investimento direto no reino de DEUS? SIM

3)É o tipo de trabalho no qual a igreja não pode faltar, mas que não lhe oferece qualquer retorno, por mínimo que seja?NÃO.

4)Embora seja um exercício de misericórdia, tem ele a sua contribuição a expansão da igreja de cristo?SIM

5)Demanda investimentos não apenas nos víveres propriamente ditos, mas, também, em infra-estrutura? SIM

O preparo logístico para execução do serviço assistencial demanda

1)Absoluto controle sobre o tipo de alimento que será arrecadado e armazenado? SIM

2)Um canto qualquer que esteja sobrando nas instalações da igreja? NÃO

3)O entendimento de que alguns tipos de mantimentos não poderão ser estocados caso as condições mínimas necessárias a sua conservação não existem? SIM

4) Um levantamento sobre as quais as reais necessidades daqueles que serão assistidos pela assistência social da igreja? SIM

Em relação ao ensino cristão é correto afirmar que

Ele é fundamental ao crescimento saudável da igreja? SIM

O desprezo a ele precipita a igreja em crises espirituais? SIM

 

Quando a qualidade da EBD é correto afirmar que: 

1)A igreja brasileira atingiu o ápice deste trabalho, não havendo para onde faze-lo aumentar ou melhorar? NÃO

2)Sempre há meios, formas e técnicas de aprimorar-se o trabalho realizado nas classes?SIM

3)Entre as mais comuns causas da evasão encontram-se o despreparo dos professores e as péssimas instalações?SIM

4)A presença do pastor na EBD é muito importante, não apenas para a igreja, mas para ele próprio como crente? SIM

5)A leitura de boas obras e da bíblia, principalmente, é uma das formas de aperfeiçoamento mais acessíveis a qualquer professor de ensino cristão? SIM

6)Uma das maneiras mais imediatas de a igreja prover capacitação aos seus professores é através de aulas que antecipem aos professores o assunto e os debates da lição da EBD? SIM

7)Seminários especializados em didática para o ensino cristão são muitos importantes ao desenvolvimento do professor? SIM

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


[1] Graduado em Administração Pública e Teologia. Pós Graduado em Docência do Ensino Superior, Gestão Pública e Direito Administrativo.

 

 

Secretaria Estadual de Missões das Assembleias de Deus de Mato Grosso

 

 

 

 

Ética ministerial e cristã

Pr. Jose Gomes de Abreu[1]

 

Ev. Nelson Barbosa Alves

Secretário Estadual de Missões / Semad-MT

Ev. Wesley Marcelino de Oliveira

Secretário Executivo de Missões / Semad-MT

Ev. Claudenir Pereira Dias

Coordenador de Cursos Semad-MT

 

Cuiabá - MT 22 de Agosto de 2015.

Sumário

 

INTRODUÇÃO:

3

1. ÉTICA CRISTÃ

4

1.1 Evidências da Ética Cristã

4

1.2 Fundamentos da Ética Cristã

6

2. ÉTICA MINISTERIAL

7

2.1 A importância do estudo da Ética Ministerial

8

3. ÉTICA DO MISSIONÁRIO

10

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

11

BIBLIOGRAFIA

11

   

 


INTRODUÇÃO

Para que tenhamos uma visão geral da matéria que iremos estudar, passaremos a observar algumas definições e conceitos relacionados à ética, ética cristã e ética ministerial. A palavra ética, origina-se do vocábulo grego ethos que significa costume e tem uma etimologia significativa, idêntica ao radical latino mos, donde se origina a expressão moral, ambos significam costume ou hábito.

“Ética” é a parte da moral que trata da moralidade dos atos humanos. É a parte da filosofia que estuda os deveres do homem para com Deus e para com a sociedade. Ainda segundo especialistas no assunto, a Ética pode ser definida como “o estudo crítico da moralidade”. Consiste na análise da natureza da vida humana, incluindo os padrões do certo e do errado, pelos quais sua conduta possa ser guiada e dirigida, em resumo: Ética, é na prática, aquilo que você pensa e faz.

Portanto, ética é um somatório de princípios que capacitam o homem a fazer uma escolha e transforma-la em ação vital. Dependendo desses princípios, essa decisão pode ser boa ou má, benéfica ou prejudicial a quem se destina. A titulo de informação veremos ainda que de forma sucinta, os diferentes tipos de ética:

* Ética imediatista – que é o estágio do comportamento no qual a ação parece não ser guiada por nenhum tipo de premeditação;

* Ética da tradição – relaciona-se às tomadas de decisões em concordância e influenciadas por aquilo que a maioria das pessoas pensam e fazem. As pessoas movidas por este tipo de ética nunca perguntam: “Esta ação é boa ou má?” ou “Esta decisão está certa ou errada?”, mas: “E isto o que todos fazem ou querem que eu faça”; Ética hedonista – um hedonista é uma pessoa cujo conceito ético supremo é o prazer. Ele acredita que o valor de uma ação é medido pela quantidade de prazer que ela assegura. Assim, o bem é identificado com aquilo que dá prazer, e o mal com aquilo que causa dor.

Neste particular os cristão tendem a confundir a vida cristã com alguma forma de hedonismo: “quer você espere o prazer aqui na terra ou numa vida futura, se suas ações são orientadas pelo desejo de prazer e, suas tentativas de evitar dor, você é um hedonista, mesmo que o prazer seja esperado no paraíso e a dor no inferno”. Ética naturalista – ensina que o homem é produto da natureza, ou seja, é produto de um processo evolutivo. Ética relativista – segundo esse conceito ético, o homem é “a medida de todas as coisas”, uma opinião é tão boa quanto a outra e cada pessoa pode estabelecer seus próprios conceito éticos que então serão verdadeiros para ele mesmo. O religiosísmo moderno tem lançado mão desse conceito ético e o tem feito seu aliado, pelo que é comum se ouvir: “Todas as religiões são boas, desde que exercidas com sinceridade”, ou “todas as religiões conduzem o homem a Deus.Ética estética – que é um principio que age através dos sentimentos e emoções humanas para dar significado a vida e transformar insignificâncias em beleza. “A cristandade tem sempre estado em perigo de escapar do discipulado do Cristo vivo para adoração de algum salvador bonito” em contraste com o que lemos em Isaias 53:2-3. Veremos agora, ainda que de forma sucinta algumas definições a respeito da Ética Cristã.

 

1.      ÉTICA CRISTÃ

Em relação a ética cristã pode-se defini-la como o conjunto de regras de conduta para o cristão, tendo como fundamento a Palavra de Deus. Para nós crentes em Jesus, o certo e o errado devem ter como base a Bíblia Sagrada, a nossa regra de fé e prática. O termo ética aparece várias vezes no Novo Testamento significando conduta, comportamento, porte e compostura habituais. A ética cristã deve ser fundamentada no conhecimento de Deus como revelado na Bíblia, principalmente nos ensinos de Cristo, de modo que “Ele morreu por todos. Para que os que vivem, não vivam mais para si, mas para Aquele que por eles morreu e ressuscitou” 2 Co 5:15, Ef. 2:10.

No contexto evangélico, ética cristã é um somatório de princípios que forma e dão sentido à vida cristã normal. É a marca registrada de cada crente. É o que cada crente é, pensa e faz. Por aquilo que o crente é e faz, evidencia sua dependência de Deus e de seu próximo. Aqui está a fundamental diferença entre ética cristã e ética como simples estudo crítico da moralidade.

Nos dias atuais, o conceito de ética cristã não difere das definições já expostas, tais como conduta e prática de vida, conforme vemos no texto bíblico de 1 Co 15:33, quando Paulo diz que: “as más conversações corrompem os bons costumes”.

Segundo o Pastor Raimundo Ferreira de Oliveira, o estudo da ética repousa sobre a crença de que o homem é um agente livre e responsável; um ser livre para tomar a decisão que bem desejar. Ele pode opinar na escolha do seu trabalho, seu cônjuge, seus amigos ou no tipo de vida que desejar. Por força do que é, ele não pode fugir da necessidade de escolher. Ele é forçado a ser livre. Quer o homem queira ou não, ele tem de viver tomando decisões constantes e inevitáveis.

As escolhas morais feitas pelo homem não são simples questões do acaso. Portanto no sentido mais amplo, que se possa imaginar, principalmente nos domínios da Ética, liberdade moral significa a capacidade de autodeterminação no sentido de que o homem é livre para escolher os fins, os alvos, os valores que ele quer buscar, e livre para aceitar ou rejeitar as exigências do dever.

Deus fez o homem um ser livre para seguir o caminho que desejar, aceitar ou rejeitar até mesmo a sua vontade. Pensar de forma contrária seria transformar o homem num autômato, uma espécie de robô e desvirtua-lo como obra prima da criação de Deus.

Ainda segundo Oliveira, essa liberdade que é conferida ao homem deve ser exercida com responsabilidade, pois ética pressupõe não apenas liberdade mas também responsabilidade, porque liberdade sem responsabilidade tende a converter-se em libertinagem, ainda que a libertinagem tenha se transformado em um principio ético muito em voga na sociedade atual.

 

1.1 Evidências da Ética Cristã

Antes de falar a respeito das evidências da ética cristã, teceremos rápida consideração sobre comportamento e caráter cristão. A palavra comportamento pode ser definida como conjunto de ações de um indivíduo observáveis objetivamente. No campo da ética cristã, comportamento é o conjunto de ações que identificam o homem com a vontade de Deus, colocando como benção não só no seu Reino, mas também na sociedade da qual faz parte. No Novo Testamento a palavra comportamento quando usada para designar o modo de vida do crente, se manifesta através das palavras ser, andar, e fazer: ser a carta de Cristo, andar de acordo com a Sua vontade e fazer o que preceitua a Sua Palavra.

Já o caráter tem a ver com o que somos. Segundo D. L. Moody, “caráter é o que somos no escuro”. Ainda segundo Edward Puriton “o caráter é o triunfo de nossa determinação sobre nossa inclinação”. Caráter é o conjunto de qualidades que distinguem uma pessoa. Comportamento é um sistema que aos poucos vai moldando o caráter, que por sua vez da forma definitiva ao ser diário do homem. Quando o homem possui um comportamento irrepreensível, seu caráter é igualmente irrepreensível. (OLIVEIRA).

Como modelo de vida concreta, a ética cristã apresenta o crente ao mundo de quatro formas:

1-   Uma pessoa nascida de novo. Para viver vida nova, torna-se necessário que o homem nasça de novo: nasça do céu para as coisas do céu. Falando a Nicodemos, Jesus disse a todos os homens: Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo não pode ver o reino de Deus, Jo 3:3. Só o novo nascimento espiritual na família de Deus, dota o homem da natureza divina e capacita-o a viver de forma a agrada-Lo. Só vivendo para Deus o homem estará habilitado a viver para o seu próximo, pois a vida que passa a gozar é tão abundante conforme João 10:10, que dá para comunica-la aos outros.

2-   Sal da terra. Aqueles que já experimentaram o novo nascimento e agora vivem de acordo com a vocação divina: “vós sois o sal da terra” Mt 5:13. O sal tem a propriedade de conservar, equilibrar e dar sabor. Como sal da terra “o crente possui a singular responsabilidade de conservar a sua identidade com Deus, ser um crente de equilíbrio e comunicar sabor ao ambiente deliberadamente, onde o império da morte de faz presente. “A salinidade do cristão é o seu caráter conforme é descrito nas bem aventuranças; é o discipulado cristão e verdadeiro, visível em atos e palavras. Para ter eficácia, o cristão precisa conservar a sua semelhança com Cristo, assim como o sal deve preservar a sua salinidade. Se os cristãos forem assimilados pelos não cristãos, deixando-se contaminar pelas impurezas do mundo, perderão a sua capacidade de influência” (JONH STOT)

3-   Luz do mundo. Em Mateus 5:14, Jesus diz a seus seguidores de todos os tempos: “Vós sois a luz do mundo (...)”. A luz brilha e se opõe às trevas. É exatamente isso que Deus quer que o cristão faça. O cristão deve saber que o mundo jamais verá a Deus de maneira melhor do que o próprio crente é capaz de apresentar através de suas atitudes. Por isso Jesus acrescentou “assim brilhe também a vossa luz diante dos homens para vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso pai que está no céu.”

4-   Testemunha de Jesus Cristo. A vida frutífera alcançada através de uma comunhão constante com Cristo, capacita o crente a partilhar as imensuráveis riquezas espirituais com aqueles que, como ele, habitam nesse vale de lágrimas. Contar aos outros o que Deus fez em seu benefício é uma das formas mais salutares de manter a benção recebida.

Há determinadas coisas que não se consegue esconder por muito tempo, entre as quais destacamos a sabedoria e a tolice, a riqueza e a pobreza, a beleza e a feiura. No domínio das coisas espirituais também há duas coisas que não se consegue esconder por muito tempo: uma vida de retidão e uma vida de hipocrisia. Assim como não se esconde uma cidade edificada sobre um monte, Mt 5:14,  assim também é impossível se esconder por muito tempo as virtudes de uma vida que vive em comunhão com Deus.

 

1.2    Fundamentos da Ética Cristã

Segundo matéria publicada no site Missoesmil, a ética cristã está baseada biblicamente nos seguintes fundamentos:

1.2.1 Nos tempos da Lei

O Antigo Testamento, não tenta ensinar apenas para desenvolver o intelecto, mas comunicar, ensinar a viver de acordo com suas crenças e de acordo com suas necessidades éticas ( Ex 20.1-17; 21.1-16). O conceito que se tem à simples vista do ensino do Antigo Testamento, é que apenas os israelitas tinham que aprender longos relatos de seus antepassados e históricos de suas experiências na trajetória até a terra de Canaã (Dt 4.1). Porém se olharmos para o conceito que se tinha do ensino do aprendizado, veremos que isto vai muito além do que sabemos.

1.2.2 Na vida de reis e príncipes

Muitos reis e príncipes foram beneficiados pela Palavra de Deus. Pv 3.13-16. Os vários desvios da nação de Israel surgiram em consequência da ignorância da Palavra (II Cr 36.16). Por outro lado, quando o rei buscava ao Senhor e voltava-se para a Palavra, a nação prosperava (II Cr 26.5). Essa é uma constante na História de Israel “queda e levantamento”. Na época de Juízes, tem vários relatos das consequências desastrosas da desobediência de Israel (Jz 21.25). Josué recebeu sérias recomendações para observar os preceitos da Lei do Senhor (Js 1.7,8). Sua obediência lhe valeria o sucesso.

1.2.3 Nos tempos de Esdras

Conforme o plano de Deus, Zorobabel conduziu um grupo de remanescentes judeus exilados de volta à Palestina. Ali, o Senhor encarrega Esdras, o sacerdote para promover a maior reconstrução espiritual: o retorno à Bíblia ( Ne 8). Esse capítulo descreve um dos maiores avivamentos da história. A Palavra de Deus remodelou seu povo e gerou em seus corações uma grande fome espiritual, mudando suas atitudes pecaminosas e renovando suas forças (Ne 8.5-6, 10).

1.2.4 No Novo Testamento

A palavra “DIDASKO” é geralmente usada quando se trata de instrução verbal, no entanto, também pode ser usada para dizer: “mostra-nos”. Outras vezes esta palavra tem duplo sentido: “fazer e ensinar” (Mt 5.19; At.1.1). Também pode ser traduzida como se instruir mutuamente (Cl 3.26). Entretanto, a palavra “PAIDEÚO”, dá idéia de educar uma criança (Pv 22.6). Também implicam neste ensino,  disciplina e correção (1ª Co 11.21; 1ª Tm 1.20; Tt 2.12).

Não somente o Novo Testamento, como toda Bíblia está repleta de exemplos éticos, tendo em vista que ela é um manual de todas as éticas. Procuraremos demonstrar apenas três exemplos de ética no Novo Testamento, mas devemos procurar outros exemplos éticos em toda Bíblia, afinal ela é nosso manual por excelência.

1.2.5 O exemplo de Zaqueu

A confissão genuína do pecado e a verdadeira fé, que produz salvação em Cristo resultam na transformação da conduta externa da pessoa Rm 10.9 “Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em seu coração, creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo”. Zaqueu demonstrou arrependimento e conversão com uma atitude espontânea de restituir e repartir os bens. A presença de Cristo em sua vida o transformou em um homem ético com exemplos práticos de uma nova vida (Lc 19.8).

1.2.6 O exemplo de Paulo a Filemom

Paulo escreveu esta “carta da prisão” (Fm 1.9) a um homem chamado Filemom, mais provavelmente durante sua primeira prisão em Roma. Filemom era um Senhor de escravos (Fm 1.16) e membro da Igreja  de Colossos. Onésimo era um escravo de Filemom que fugira para Roma; alí, teve contato com Paulo e entregou sua vida a Jesus. Paulo dentro da ética devolve a Filemom o seu escravo Onésimo com uma carta de intercessão. Certamente Onésimo seria muito útil a Paulo na prisão, mas não era ético ficar com ele.

1.2.7 A cobrança de uma postura ética

A Bíblia mostra Ananias e Safira que combinaram vender uma propriedade e entregar parte do valor como se fosse o todo (At 5.1). Seu verdadeiro objetivo era obter prestí

 

COMPARTILHE!



PUBLICIDADE

FACEBOOK

SEMAD-MT - Secretaria Estadual de Missões das Assembleias de Deus do Estado de Mato Grosso.. 

Segunda, 11 de Dezembro de 2017


Warning: Unknown: write failed: Disk quota exceeded (122) in Unknown on line 0

Warning: Unknown: Failed to write session data (files). Please verify that the current setting of session.save_path is correct (/tmp) in Unknown on line 0