Eventos. SEMAD-MT - Secretaria Estadual de Missões das Assembleias de Deus do Estado de Mato Grosso.

EVENTOS

5º MÓDULO DO CURSO DE PREPARAÇÃO MISSIONÁRIA 2015

02/10/2015

PROJETO MISSIONÁRIO 2015

CURSO DE PREPARAÇÃO MISSIONÁRIA

 

5º. MÓDULO – MISSÃO TRANSCULTURAL

 

 

 

 

 

Ev. Nelson Barbosa Alves

Secretário Estadual de Missões / Semad-MT

Ev. Wesley Marcelino de Oliveira

Secretário Executivo de Missões / Semad-MT

Ev. Claudenir Pereira Dias

Coordenador de Cursos Semad-MT

 

 

Cuiabá – MT, 26 de Setembro 2015.

 

MISSÃO TRANSCULTURAL

Por Valdeci do Carmo[1]

 

            É de fundamental importância ter conhecimento do que significa missão transcultural. A falta de conhecimento nesta área tem trazido alguns sérios problemas, principalmente quando o missionário chega em outro contexto cultural e quer impor a cultura do seu país, esquecendo-se de que o Evangelho é universal e transcultural.

            Os princípios bíblicos não mudam de acordo com as circunstâncias. Eles sempre permanecerão inalterados em qualquer cultura. Missão transcultural acontece quando o missionário vai às nações ou às outras culturas.

            Os princípios bíblicos e costumes são bem diferentes em sua essência. Os valores bíblicos são imutáveis, mas os costumes sofrem alterações e influências boas ou más da cultura de cada povo.

            Para se entender melhor a transculturação é preciso considerar alguns pontos importantes.

 

O que é cultura

 

            É o conjunto de padrões de comportamento, crenças, conhecimentos, costumes, etc. que distinguem um povo. É o complexo dos padrões de comportamento, das crenças nos valores espirituais, morais e materiais transmitidos coletivamente dentro de uma sociedade. Em outras palavras é o modo de viver de um povo.

            O padrão de cultura de um povo constitui, em última análise, a sua orientação cultural. É isto o que norteia o modo de viver de cada ser humano. 

            Só para lembrar. Ao falarmos de cultura estamos nos referindo ao modo de viver de um povo, abrangendo, sua língua, costumes, hábitos, religião, tradição, enfim, todas as características deste povo.

            O único padrão de comportamento humano é a palavra de Deus e ela respeita todas as culturas.

            O que dificulta o nosso relacionamento com outras culturas é o sentimento de superioridade, por acharmos que somos melhores do que os outros.

            O missionário transcultural é aquele que compreende a cultura alheia e nunca tenta mostrar que a sua cultura é superior.

 

Subcultura

 

            As subculturas existem dentro de um mesmo país. Ex: o modo de viver da população de São Paulo é muito diferente da cultura rural da Amazônia. Um outro exemplo é a comunidade coreana que vive dentro de São Paulo, e existem muitas outras dentro do nosso Brasil.

 

O Que é Transculturação

 

            “É o processo de transformação cultural caracterizado pela influência de elementos de outra cultura, com a perda ou alteração dos já existentes”. (Aurélio)

            Observe bem a definição acima e complete as lacunas abaixo para uma melhor aprendizagem.

            Fica bem entendido que o papel do missionário não é mudar o modo de viver, ou seja, os valores de outra cultura. Jamais deve o missionário chamado por Deus ter uma atitude chamada etnocentrismo que é uma forma de ver a sua própria cultura como a maneira correta e universal de comportamento. Nós temos a tendência de achar que a nossa maneira de fazer as coisas é “superior” ou “correta”.

            Não estamos afirmando que, o missionário deva concordar com costumes pecaminosos. De maneira nenhuma, há muitos costumes que apenas fazem parte da maneira de viver de um povo, outros, no entanto, já contrariam os princípios bíblicos. Neste caso tais costumes devem ser mudados e norteados pelos princípios da palavra de Deus que são universais.

            O maior comprometimento do missionário é com os princípios da palavra de Deus. O modo de expressar ou vivenciar o evangelho varia de uma cultura para outra.

            Mais adiante veremos alguns costumes entre os povos. Reflita as frases abaixo para fixação e depois responda com suas palavras o que você entendeu por transculturação.

 

            “.O papel do missionário não é alterar ou mesmo mudar os valores de uma cultura.”

            “.O compromisso do missionário é com os princípios bíblicos”.

            “.Os princípios bíblicos podem exercer influência e alterar situações contrárias à fé cristã.”

            “.Não se deve importar, exportar ou adaptar modelos de outros contextos culturais”.

 

O Que é Missões Transculturais

 

            Agora que já ficou entendido o conceito de transculturação fica mais fácil compreender o que é missões transculturais 

            Fazer missões transculturais é esvaziar-se a si mesmo e levar a mensagem de salvação aos povos, respeitando e convivendo com as suas diferentes culturas.

            A mensagem do Evangelho é universal. Está acima de nossas concepções humanas.

            O Evangelho não se prende e não se curva a nenhuma cultura, mas esta se curva ao Evangelho. Isto quer dizer que temos que nos valer dos elementos étnicos de uma cultura para levá-lo aos perdidos.

            Um conhecido evangelista hindu afirmou: “se você está indo levar a água da vida para o hindu, leve-a para ele em copo hindu”. Ou seja, a composição da água é a mesma, mas o vasilhame pode ser diferente. O Evangelho não muda, mas a vasilha nem sempre é a mesma. Isto nos fala na forma e na abordagem de levar o Evangelho que transforma vidas.

 

Marque abaixo a letra N para nunca V para às vezes e S para sempre

Cada N vale 1 ponto V vale 5 e S vale 10 pontos.

 

1- Aberto às diferenças: aceito a maneira de fazer as coisas das outras pessoas mesmo quando não é do seu modo.

 (         )

 2- Capaz de tolerar as coisas que não compreendo e aceitar que possa nunca compreendê-las.    

 (         )

 3- Ser flexível: ceder e aceitar as opiniões dos outros. E deixar a opinião deles prevalecerem.                                                                                                              

 (         )                                                    

  4- Um bom observador: sou capaz de aprender sobre as pessoas e situações ouvindo e observando.                                                                                 

  (         )

  5- Capaz de recusar a fazer julgamento até entender a situação.

  (         )

  6- Capaz de me interessar pelo ponto de vista dos outros.                                                  

  (         )

  7- Capaz de me arriscar e cometer erros.                                       

  (         )

  8- Capaz de manter meu senso de humor em situações difíceis.

  (         )

                                                                                                        

De 9 a 20 pontos você encontra dificuldades para conviver com pessoas de outras culturas. Há áreas de sua vida que precisam ser trabalhadas.

 

De 21 a 45 pontos o seu período de ajustamento com pessoas de outras culturas tem possibilidade de ser pouco doloroso embora seja necessário abrir mão de alguns pontos de vista.

 

De 46 a 90 pontos você é capaz de enfrentar o chamado “choque cultural” que acontece quando passamos a conviver com outra cultura.

 

O Preparo do Missionário Transcultural

 

            Não é aconselhável o missionário ir para o campo sem um prévio conhecimento do módus vivendi do país onde vai trabalhar.

            Por isso é necessário que, o missionário que foi chamado e comissionado por Deus passe por um período de preparação. Onde ele irá obter:

- Preparo linguístico;

- Preparo teológico;

- Conhecimento do que é bíblico, extrabíblico e antibíblico;

- Conhecimento dos costumes e doutrinas.

 

Alguns Costumes Entre os Povos

 

            Iremos relatar alguns costumes entre os povos, mas não é para polemizar e criar discórdias entre nós sobre a tão acirrada disputa entre doutrinas e costumes. A intenção é, trazer ao conhecimento de todos alguns dos diferentes costumes entre os povos.

            Vamos começar pelo tão conhecido versículo da Bíblia, muito usado pela CCB. (1Ts 5.26) “Saudai a todos os irmãos com ósculo santo.” Só porque encontramos na Bíblia esta expressão, não quer dizer que isto é uma doutrina a ser seguida. Se Paulo vivesse em nosso contexto cultural ele diria “saudai a todos com um abraço santo” ou com “um aperto de mão santo”.

            A ênfase aqui é que a nossa amizade para com o próximo não pode ser fingida. O nosso relacionamento deve ser sincero porque isso é um princípio bíblico.

            Os orientais possuem o costume de se beijarem como forma de saudação. Isto no Brasil não é visto com bons olhos.

            Em se tratando ainda de saudação, na Coréia e no Japão o correto é uma ligeira flexão à pequena distância. Imagine um brasileiro tentando impor o costume de abraçar a estes irmãos. Provocará uma série de constrangimentos. Só para lembrar, os coreanos, japoneses e quase todos os povos orientais têm o costume de tirar os sapatos como sinal de respeito ao entrarem em qualquer casa, ou quando sobem à plataforma do púlpito para tomarem assento.

            Em países como Marrocos e Madagascar, é comum aos homens andarem de mãos dadas nas ruas. Não há nenhum desvio de conduta moral, é apenas uma forma de companheirismo. Um missionário brasileiro lá, por exemplo, terá que se adaptar a estas circunstâncias.

            O ex-presidente Fernando Collor de Melo, quando esteve em visita a um país africano, apareceu por longo tempo diante das câmeras de mãos dadas com o mandatário daquela nação. Usando as palavras de um missionário no Suriname, significa que o missionário precisa aprender os costumes do povo, comer sua comida e vestir suas roupas. Caso contrário, o obreiro é tratado com desprezo”.

 

Alimentação

 

            Na Coréia do Sul e China, cachorros são criados em granjas, próprios para alimentação. Quem de nós tem coragem de comer um cachorrinho de granja bem vacinado e bem tratado?

            Para os shiluk, do Sudão, as mulheres não podem beber leite. Eles crêem que se uma mulher menstruada beber leite, a vaca não mais dará leite.

 

Vestimenta

 

            Nas Ilhas Fiji, os homens usam saias, até mesmo os crentes.

            Na ilha Yap, os chefes da aldeia exigiram que as mulheres usassem saias até os pés. Uma mulher não pode mostrar nenhuma parte das pernas.

            No Zaire, África, entre a tribo dos ngbaka, somente as prostitutas usam blusas. Mulheres decentes não.

Segundo o livro Costumes e Culturas da Edições Vida Nova[2]: “Muitas vezes uma determinada vestimenta que, para um povo, encaixa-se totalmente nos seus conceitos de modéstia, para outro povo é totalmente escandalosa. Seria uma coisa rara ver uma mulher sem meia fina num culto de qualquer igreja nos Estados Unidos. Mas, aqui no Brasil, isso não é necessário. Por outro lado, nós como brasileiros, acharíamos muito estranho alguém participar de um culto usando chapéu, o que no Haiti é um costume absolutamente normal”.

 

 

Oração

 

            Na China se acreditava que os cristãos adoravam a cadeira, pois oravam debruçados nela. Os Orientais têm o costume de orar ou se reunir sentados no chão.

 

Tempo

 

            Algumas tribos indígenas, como as da Austrália, punem com pena de morte certos crimes graves. Chegar atrasado a uma cerimônia religiosa, por exemplo.

            Em alguns países africanos, os cultos chegam a ter durações de 6 a 8 horas. Quando um líder marca um horário, o liderado deve chegar no horário e o líder deve chegar meia hora depois, para mostrar a importância da sua posição.

 

Cores

           

            Na China o branco é a cor do luto, e vermelho, a do casamento e da alegria.

            Na China o preto é a cor dos ofícios inferiores, e no Ocidente, a dos trajes de gala.

Se nós pretendemos evangelizar um povo, cujo modo de vida é totalmente diferente do nosso, precisamos compreender as razões que os levam a pensar e agir da forma que agem.

 

BIBLIOGRAFIAS

 

QUEIROZ, Edison. Igreja Local e Missões, A. São Paulo: Vida Nova, 1998.

 

LIDORIO, Ronaldo. Introdução à antropologia missionaria. São Paulo: Vida Nova, 2011.

 

STOTT, John. A Missão cristã no mundo moderno. Viçosa, MG: Ultimato, 2010.

 

RICHARDSON, Don. Fator Melquisedeque, O. 3ª ed. São Paulo: Vida Nova, 2008.  

 

Links relacionados à disciplina

https://www.portasabertas.org.br/

http://www.novastribosdobrasil.org.br/

http://vozdosmartires.com.br/

http://www.missaoalem.org.br/

http://www-01.sil.org/americas/brasil/index.html

https://www.youtube.com/watch?v=tWPVgDOVUso

 



[1] Evangelista, Bacharel e Mestre em Teologia, possui especialização em Apologética, Docência do Ensino Superior, Antropologia da Religião e Filosofia. Professor e coordenador do curso de graduação em Teologia da FEICS

[2] BÁRBARA  Burns, DÉCIO de Azevedo. Costumes e Culturas, Uma Introdução à Antropologia Missionária, VIDA NOVA, 1995

 

 

 

Projeto Missionário 2015

CURSO DE PREPARAÇÃO MISSIONÁRIA

 

5º. MÓDULO – Panorama das Necessidades Mundial e OS DESAFIOS DOS POVOS NÃO ALCANÇADOS[1]

 

 

Ev. Nelson Barbosa Alves

Secretário Estadual de Missões / Semad-MT

Ev. Wesley Marcelino de Oliveira

Secretário Executivo de Missões / Semad-MT

Ev. Claudenir Pereira Dias

Coordenador de Cursos Semad-MT

 

 

Cuiabá – MT, 26 de Setembro 2015.

 


 

  1. INTRODUÇÃO

Numa linguagem humana, segundo Abraão Maslow[2], há cinco necessidades onde numa “escalada” hierárquica faz-se necessário desenvolvê-las, a fim de que o ser humano venha a atingir a sua plena auto-realização o qual vai disposta na pirâmide abaixo:

 

Há quem diga, também, que Maslow contemplou as necessidades do indivíduo em uma ordem muito rígida, sem a possibilidade de inversão ou troca destas necessidades. Mas nenhumas destas críticas descaracterizam a teoria ou a tornam menos atual que as demais, apenas nascem de algumas confusões que são feitas com a definição de “necessidade”, muitas vezes confundida com “desejo” ou “vontade”.

Trazendo para o lado espiritual, todos nós sabemos que Deus é soberano e age soberanamente. O dicionário[3] define o termo "soberania" como "aquele que exerce suprema, permanente autoridade". Deus não precisa da nossa ajuda, opinião ou permissão para se mover. No entanto, você sabia que Deus tem três importantes necessidades que só nós, sua Igreja podemos cumprir? Baseando na palavra “necessidade”, desejo elencar-las.

1. Comunhão é a primeira necessidade de Deus – O dicionário define a "comunhão" como "a partilha mútua, de experiências, atividades, interesses, etc.”. A Bíblia reconhece Abraão como um homem que tinha comunhão com Deus (Gn 18.17);

2. Glória é a segunda necessidade de Deus - O dicionário define basicamente o termo "glória" em: "venerada adoração ou louvor". É por isso que não devemos Não devemos roubar a Sua Glória, pois somente ELE merece a honra, glória e o louvor (Is 42.8).

3. Intercessores é a terceira necessidade de Deus - O livro de Isaías 59:16 diz que Deus ficou surpreso porque não havia intercessores para clamar pelo os israelitas. Não há nada neste mundo impressionante o bastante para surpreendê-lo. O que é surpreendente para o homem é normal para ele. No entanto, Deus estava maravilhado porque a terra estava vazia de intercessores.

E VIU QUE NINGUÉM HAVIA. O Senhor viu a gravidade dos pecados, de Israel e reconheceu que não havia intercessor para mudar o curso dos acontecimentos. Então, Ele mesmo decidiu estender “seu próprio braço” para salvar Seu povo, o que aconteceu com a vinda do Senhor Jesus Cristo. Também agora, é o Senhor Jesus Cristo que pessoalmente intercede por nós no céu (Hb 7.25); Ele busca intercessores na terra para tamparem “na brecha” (Ez 22.30), em favor da Sua Igreja, que carece de avivamento, e dos perdidos que carecem de salvação. (Bíblia de Estudo Pentecostal).

Por esses três básicos motivos, pode-se assim dizer que surge a Obra Missionária, onde Ele foi o primeiro a se preocupar com este Projeto: "Porque Deus amou tanto o mundo que deu seu Filho único, para que todo aquele que nEle crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Deus não enviou o Filho dEle para condenar o mundo, mas para salvá-lo". (Jo 3.16 e 17).

Estes apontamentos fora desenvolvido de uma forma que, ao terminarmos, sejamos capazes de avaliar por si mesmo pelo o menos uma necessidade com respeito à obra de missionária; destacando que Missões é um grande desafio!! (Mt 9.35-38).

 

  1. vamos a um panorama mundial

Uma definição simples da população mundial é o número de pessoas vivas na Terra em qualquer momento determinado na história. A população mundial já atingiu 6.400 milhões em 2004 e continua a crescer num ritmo de 80 milhões por ano. Desde os anos 1950, a China é o país mais populoso do mundo onde até 2050, a estimativa é que a população mundial nesta metade do século irá atingir 9,6[4] bilhões onde estas informações são baseadas em uma ampla revisão dos dados demográficos disponíveis de 233 países e regiões em todo o mundo, incluindo a rodada de censos populacionais de 2010. Ainda de acordo com a UNUBR[5] a População Mundial aproximada é de 7,2 Bilhões de pessoas (dados de 2015 - FNUAP[6]), onde a população cresce um bilhão de pessoas a cada 10 anos. Estimativa que em 2050 podemos chegar até 7,5 bilhões de pessoa alcançando 6.000 Línguas/Idiomas e dialetos.

 

2.1. Contexto do Panorama Mundial Pobreza

Em todas as regiões do mundo em desenvolvimento, o percentual de 22% de pessoas que estão vivendo com menos de 1 dólar por dia. Desde 1992, a média de expectativa de vida cresceu três anos e meio. Hoje, 27% da população mundial vivem em absoluta pobreza, por conta de infra-estrutura precária e má gestão, a cada ano, cerca de dois milhões de pessoas, em sua maioria crianças, morrem de doenças associados ao fornecimento inadequado de água, saneamento e higiene. Apenas 63% da população mundial têm acesso a saneamento básico, um quadro projetado para crescer só a 67% até 2015.

A produção agrícola se expandiu, mas ao mesmo tempo, solos, água doce, oceanos, florestas e biodiversidade estão rapidamente sendo degradados. A mudança climática está colocando ainda mais pressão em recursos dos quais somos dependentes.

A produção de alimento tem crescido constantemente a um ritmo superior ao crescimento da população, ainda que 925 milhões de pessoas continuem passando fome. Terras produtivas em regiões secas ou zonas áridas pelo mundo, onde vivem mais de dois bilhões de pessoas, estão sob crescente ameaça por causa das mudanças climáticas e práticas precárias de manejo da terra.

Em resumo:

•        1,2 Bilhões de pessoas vivem com menos de um dólar por dia;

•        Uma em cada cinco pessoas vive na pobreza tão absurda que sua sobrevivência é um risco diário;

•        Dos 10 países mais pobres do mundo, sete estão na África;

•        Cerca de 1,6 bilhões de pessoas não tem acesso a qualquer forma de tratamento médico;

Obs.: Os 10 países mais pobres do mundo são: Moçambique, Etiópia, Tanzânia, Laos, Nepal, Somália, Bangladesh, Malawi, Butão e Chade.

 

2.2. Contexto da Situação Religiosa Mundial

O Centro Pew de Pesquisa sobre Religião e Vida Pública realizou um estudo demográfico abrangente em grande parte dos países. A análise incluía estatística e análise de tendências para as próximas décadas. O panorama religioso do mundo atual aponta para um grande crescimento dos “sem religião”, especialmente em países tradicionalmente cristãos. Eles já são o terceiro maior grupo “religioso” do mundo, atrás de cristãos e muçulmanos. Cerca de uma em cada seis pessoas do mundo (16,3%) afirma ser “sem religião”. A maioria deles afirma que, embora tenha suas crenças particulares, não se identifica com nenhuma religião “oficial”.

No mundo, a maioria dos países ainda é habitada por cristãos. Apenas nove países do mundo não existem uma maioria religiosa clara: Guiné-Bissau, Costa do Marfim, Macau, Nigéria, Cingapura, Coréia do Sul, Taiwan, Togo e Vietnã, China e Coréia do Norte não divulgam oficialmente a opção religiosa de seus habitantes, considerando-se ATEUS.

A situação religiosa mundial pode também ser conhecida através de três segmentos;

1. Os Cristãos. A maioria das fontes estatísticas engloba entre os “cristãos” – os protestantes, os evangélicos e os católicos. Cristão em todo o mundo: EUA, BRA, URSS, MEX, ALE, CHI, ITA, FRA e Reino Unido, com um total de Cristãos: 2,1 bilhões de pessoas – 150 países;

Total de Evangélicos: 880 milhões de pessoas – distribuídas em 55 mil denominações[7].

2. Os não cristãos já contados pelo o Evangelho. Há bilhões de pessoas na Terra que, apesar de evangelizados, não são cristãos. Já ouviram o Evangelho pelo o menos uma vez mais não aceitaram a Jesus como salvador (ou afastaram-se) e precisam ouvir pelo o menos mais uma vez a msg de Cristo.

3. Não Cristãos Contados. Total de Não Cristãos Contados: 2,5 bilhões de pessoas aproximadamente, onde segue a seguinte observação:

  • O novo retrato da fé no Brasil - Pesquisas indicam o aumento da migração religiosa entre os brasileiros, o surgimento dos evangélicos não praticantes e o crescimento dos adeptos ao islã.

Estatisticas para simples conhecimento: Somente 5% dos cristãos dessa época tiveram a experiência de trazer uma pessoa para Jesus, ou seja 95% nunca ganhou uma alma; 40 milhões de africanos nunca leram a bíblia nem uma vez se quer no seu idioma; Estatísticas nos mostram que nos últimos 60 anos houve uma explosão de seitas orientais nos dando os seguintes dados; O islamismo em 60 anos cresceu 500% no mundo; Hoje o islamismo é a religião predominante em 43 países. Estes países estão completamente perdidos (segundo At 4.12); Importante: O islamismo investe mais dinheiro só na América do que toda a igreja investe em missões no mundo inteiro, pergunto: (qual a sua oferta missionária?); O hinduísmo cresceu 167%; O budismo cresceu 145%; As testemunhas de Jeová é uma das seitas que mais cresce no mundo e leva milhares de pessoas ao engano. Porém, eles possuem o melhor método de evangelização no mundo  que chamamos de evangelismo – P a P; Nós (cristãos) últimos 50 anos crescemos somente 47%[8];

 

 

  1. PRINCIPAIS DESAFIOS DA OBRA MISSIONÁRIA (RELIGIÃO)

Para que o terceiro mundo deixe de ser apenas o celeiro missionário mais promissor para a evangelização do mundo, faz-se necessário que seus problemas internos sejam desafiados e resolvidos e grande potencial missionário seja totalmente explorado.

As igrejas tornam-se enclausuradas, fechadas em si mesmas, alienadas de sua realidade ao redor. São verdadeiros “quistos” na comunidade, o sal perdeu o sabor e a luz esta escondida – falhas em sua missão precípua. Greenway[9] destaca três fontes de problemas internos:

1. Há lideres que simplesmente ignoram o processo de evangelização em massa.

2. Outros não estão dispostos a fazer o que deve ser feito para levar multidões receptivas a igrejas;

3. Não tem interesse na extensão missionária e conforma-se com o trabalho nas igrejas organizadas. Por esse motivo [cito eu] três grandes religiões vêm crescendo assustadoramente em todo o mundo, sendo também: “um grande desafio para a obra missionária” – Os não alcançados;

  1. Muçulmanos (prega a religião Islâmica que consiste em cega obediência aos preceitos do Alcorão e aos ensinamentos de Maomé: 570 – 652) onde se acreditam que há cerca de 4.030 grupos distintos de muçulmanos onde nem 30 deles ainda foi alcançado. Este sem sombra de dúvidas é um grande desafio, ALCANÇAR OS MUÇULMANOS PARA CRISTO;
  2. Budistas (o Japão é: 71% Budista, 2% Cristã), que se concentra principalmente na Ásia. No Brasil suas derivações mais conhecidas são (nomes) – Seicho-no-Iê e Igreja Messiânica Mundial. Estes acreditam em Carma (ética de causa e efeito), Maya (natureza criativa e mágica da ilusão), Samsara (o ciclo de reencarnação), entre outras coisas. O objetivo principal da vida é o de alcançar a “iluminação”;
  3. Hinduísmo, onde seus templos, sua idolatria e seus deuses (cerimônias e ensinos) mantêm milhões na escuridão.

 

  1. A MISSÃO MÁXIMA DA IGREJA

O progresso de uma igreja local não pode ser medido ou avaliado primeiramente por suas atividades filantrópicas, educacionais e materiais. O progresso real de uma igreja é avaliado por seu alcance evangelístico, juntamente com seus frutos espirituais, como resultado da semeadura da Palavra de Deus. Todas as demais atividades são importantes, mas a prioritária e incessante é a evangelização. Definição de evangelismo: “É a arte de compartilhar a Salvação que recebemos e também o seu autor JESUS CRISTO, com outra (S) Pessoa (S), através de comunicação direta e indireta”.

4.1. Existem dois tipos de evangelismo:

  • 1) Evangelismo Pessoal: (Ex. JESUS e a samaritana, quebrando as barreiras do preconceito racial; Filipe e Eunuco, sinônimo de obreiro preparado para explicar a palavra de DEUS aos necessitados);
  • 2) Evangelismo em massa: (Ex. JESUS e o sermão do monte, com as normas da nova religião; Paulo no Areópago, ensinando que filosofia não traz paz à alma e que só devemos adorar a um DEUS).

Também podemos dizer que existem duas palavras interligadas na proclamação das Boas-Novas que merecem a nossa atenção e estas definem e explicam a missão máxima da igreja na terra.

4.2. Evangelho (Mc 16.15). Só entenderemos a importância da missão evangelizadora da igreja compreendendo o significado de evangelho. O que é evangelho? No sentido mais simples, o evangelho é definido como “boas-novas de salvação em Cristo”. Noutras palavras, “evangelho” é o conteúdo da revelação de Deus, em Jesus como Salvador e Senhor de todas as criaturas que o aceitam como seu Salvador pessoal. Evangelho, portanto, é o conjunto das doutrinas da fé cristã que deve ser anunciado a toda criatura.

4.3. Evangelização (Mateus 28.19,20). Apresenta o imperativo evangelístico de Cristo à sua igreja, com quatro determinações verbais:

a) Ir. No sentido de mover-se ao encontro das pessoas, a fim de comunicar a mensagem salvífico do evangelho;

b) Fazer discípulos. Com o sentido de “estar com” as pessoas e torná-las seguidoras de Cristo;

c) Batizar. É o ato físico que confirma o novo discípulo pela sua confissão pública de que Jesus Cristo é o seu Salvador e Senhor;

d) Ensinar as doutrinas da Bíblia, com o objetivo de aperfeiçoar e preparar o discípulo para a sua jornada na vida cristã.

 

  1. A NECESSIDADE/DESAFIOS DA EVANGELIZAÇÃO URBANA E A TRANSCULTURAL[10]

5.1. Evangelização urbana. Sem prescindir da evangelização nos meios rurais, é um fato notório em nossos tempos que a vida urbana é uma realidade que desafia e exige da igreja uma pronta e veemente atitude para alcançá-la. Existe um fluxo migratório incontrolável de pessoas que deixam a vida rural e saem em busca de melhores oportunidades nas grandes cidades. Muitos problemas sociais resultam da desorganização da vida urbana, e a igreja deve estar preparada para responder a esses dilemas. Estratégias adequadas devem ser desenvolvidas para alcançar as pessoas. Os problemas típicos da vida urbana, tais qual a diversidade cultural, a marginalização social, o materialismo, a invasão das seitas e as tendências sociais, desafiam a igreja no sentido de, sem afetar a essência da mensagem do evangelho, demonstrar o poder da Palavra de Deus que transforma e dá esperança a todos (Rm 1.16).

5.2. Evangelização Transcultural. A evangelização Transcultural começa na vida urbana com as diferentes culturas vividas pelos seus habitantes. Porém, ela avança quando requer dos missionários uma capacitação especial para alcançar as pessoas. É preciso que o missionário tenha uma visão nítida de que a mensagem do evangelho é global, pois o Cristianismo deve alcançar cada tribo, e língua, e povo, e nação até as extremidades da terra (Is 49.6; At 13.47).

5.3 Atitudes a serem tomadas urgentemente referentes aos desafios que temos diante da Obra Missionária:

1. É preciso orar mais. A oração move o dedo de Deus. “Rogai ao Senhor da Seara que mande ceifeiros para sua Seara” (Mt. 9.38). – Daniel Berg e Gunnar Vingren (Hino da HC - 515);

2. É preciso aumentar a contribuição financeira, destacando dois pontos:

a) Contribuir para Missões é ajuntar tesouros no céu: “Guardem, sim, coisas preciosas nos céu, onde nunca perdem seu valor, e estão livres dos ladrões!”. (Mt. 6.20).

b) Oferte e Incentive os irmãos a ofertarem com propósitos missionários e a testemunharem!!

3. É preciso consagração pessoal. Deus quer usar a igreja (eu, você, nós) em todos os lugares, todavia, há a um preço a ser pago.

 

CONCLUSÃO

Os atos dos apóstolos encerraram, mas os atos do Espírito Santo ainda são os mesmos, o Senhor nos revestiu de poder para evangelizar e ninguém pode impedir a Sua igreja. Os crentes primitivos em suas pregações enfatizavam a salvação; e se nós continuarmos a pregar esta mesma mensagem, O Todo Poderoso derramará a sua unção e muitos prodígios vão acontecer e o nome dEle continuará sendo glorificado.

Nas viagens missionárias de Paulo, vemos clara e meridianamente os Atos do Espírito Santo e este mesmo Espírito Santo continua a operar maravilhas no campo missionário, fazendo o evangelho chegar aos confins da terra (Harpa 127). E você querido aluno (a), quando intimado pelo Senhor, não se furte. Responda: “Eis-me aqui, envia-me a mim” (Is 6.8);

---------------------------------------------

 

BIBLIOGRAFIA

BIBLIA de estudo pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 1995. 2030 p.

IBADEP – Curso de Teologia / Ensino e Pesquisa

PEARLMAN, M. Atos. E a Igreja se Fez Missões. 1.ed., RJ: CPAD, 1995.

PETERS, G. W. Teologia Bíblica de Missões. 1.ed. RJ: CPAD, 2000.

RICHARDS, L. O. Comentário Histórico Cultural do Novo Testamento. 1.ed. RJ: CPAD, 2007.

 

Anotações:

 

 

 

 



[1]Professor Claudenir Pereira Dias é Evangelista da IEAD Jd. Imperial - Cuiabá (MT), Bacharel em Teologia (FEICS), Pós-Graduado em Informática na Educação (UFMT) e Especialista em Planejamento e Docência do Ensino Superior (FEICS).

[2] Abraham Maslow foi um psicólogo americano (1908 a 1970), conhecido pela proposta Hierarquia de necessidades de Maslow.  Principais obras: Introdução à Psicologia do Ser, Maslow no gerenciamento.

[3] http://www.dicio.com.br/soberano/

[4] http://nacoesunidas.org/populacao-mundial-deve-atingir-96-bilhoes-em-2050-diz-novo-relatorio-da-onu/

[5] União das Nações Unidas no Brasil

[6] Fundo das Nações Unidas para a População - FNUAP

[9]Fonte: Curso de Teologia Ibadep (pág. 131)

[10]Diferença entre Missões e Evangelização – (Projeto/Missões – (Meio ou forma de alcançar as almas/Evangelização).

 

Confira as fotos do Evento


COMPARTILHE!



PUBLICIDADE

FACEBOOK

SEMAD-MT - Secretaria Estadual de Missões das Assembleias de Deus do Estado de Mato Grosso.. 

Quinta, 14 de Dezembro de 2017


Warning: Unknown: write failed: Disk quota exceeded (122) in Unknown on line 0

Warning: Unknown: Failed to write session data (files). Please verify that the current setting of session.save_path is correct (/tmp) in Unknown on line 0